a corrupção custa à Nigéria e a outros países africanos cerca de 148 mil milhões de dólares por ano, disse o presidente nigeriano Olusegun Obasanjo.
a corrupção custa à Nigéria e a outros países africanos cerca de 148 mil milhões de dólares por ano, disse o presidente nigeriano Olusegun Obasanjo. O presidente estava a dirigir-se à Iniciativa de Transparência das Indústrias Extractivas (EITI) em abuja. Obasanjo prometeu uma “guerra contra a corrupção” na Nigéria, que é notória pelo abuso de poder e pelos subornos.
a indústria extractiva, mineira e do petróleo, tem uma “grande contribuição para esta perda monumental e possível de prevenir”. “O paradoxo popular pobreza no meio da abundância é uma experiência diária em muitos países africanos ricos em petróleo, gás e minerais”, continuou o presidente. ” a maioria dos cidadãos destes países ainda não tem acesso aos cuidados de saúde básicos nem à educação”.
O EITI foi criado como parte do esforço para obrigar os governos a abrir as suas contas relativas ao petróleo ao escrutí­nio externo, tornando-os responsáveis pelos seus rendimentos.
“Cidadãos pouco patrióticos no nosso meio pilham os nossos recursos e transferem os lucros para contas nos países ocidentais, com a colaboração dos sistemas financeiros destes países”, disse Obasanjo.
O presidente pede agora que não se perca o í­mpeto deixado pelas auditorias e que se faça uma verdadeira guerra à corrupção, apelando também às organizações da sociedade civil para que se mantenham alerta e denunciem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *