Três pessoas morrem por hora no país, vítimas de violência. a taxa de homicídios está 15 vezes acima da média mundial, segundo dados do Observatório Venezuelano de Violência
Três pessoas morrem por hora no país, vítimas de violência. a taxa de homicídios está 15 vezes acima da média mundial, segundo dados do Observatório Venezuelano de Violência Confrontados com a angústia provocada pela falta de alimentos e de remédios, os venezuelanos têm ainda que lidar com uma insegurança alarmante, que se traduz na morte de três pessoas por hora, vítimas de violência. Em 2017, segundo dados do Observatório Venezuelano de Violência (OVV), registaram-se 26. 600 homicídios no país, o que representa uma taxa de 89 para cada 100 mil habitantes, 15 vezes acima da média mundial. Os venezuelanos tomam medidas quotidianas sustentadas no medo ou no desejo de se proteger. Eles se adaptam à situação de insegurança, mas isso implica uma perda de liberdade, explicou Roberto Briceno, diretor do OVV, em declarações às agências internacionais. a maioria dos venezuelanos não arrisca sair à rua com smartphones e sempre que têm uma avaria no automóvel, entram em pânico com medo de um assalto, como o que vitimou a ex-miss Venezuela, em 2014, baleada por ladrões numa estrada onde o seu veículo avariou. Para evitar este tipo de situações, foi criado um novo serviço em Caracas, para acompanhar quem tem problemas inesperados na estrada. através de um aplicativo móvel, e do pagamento de seis dólares por ano, os utentes podem acionar as equipas de acompanhamento e resgate, que vão ao seu encontro e asseguram a escolta até um local seguro. O mercado da instalação de vidros anti-vandalismo nas viaturas também está em ascensão e quando o sol se põe, a solidão reina nas ruas de Caracas e de outras cidades do país, pois os venezuelanos sentem-se em perigo a partir do momento em que saem de casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *