Pedida reparação dos impactos provocados pela construção da Barragem de Belo Monte, no Brasil, na comunidade indígena Juruna, uma das mais afetadas pela instalação do empreendimento
Pedida reparação dos impactos provocados pela construção da Barragem de Belo Monte, no Brasil, na comunidade indígena Juruna, uma das mais afetadas pela instalação do empreendimento a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) visitou o Brasil e recomendou às autoridades e à sociedade em geral para solucionar com urgência a repetida violação dos direitos humanos dos povos indígenas. O caso do povo Juruna, afetado pela construção da Barragem de Belo Monte, no Pará, foi um dos salientados pelos elementos da delegação. Segundo antónia Noguera, relatora do CIDH para o Brasil, os povos indígenas brasileiros sofrem episódios frequentes de violência e falta de atenção por parte dos serviços públicos, além de enfrentarem dificuldades e obstáculos crescentes na demarcação de suas terras. Durante a visita, a Comissão deslocou-se pela primeira vez à Terra Indígena Paquiçamba, do povo Juruna, e recolheu os depoimentos de indígenas e ribeirinhos que lutam para manter o seu modo de vida tradicional apesar da morte de milhares de peixes, da contaminação do rio Xingu, do despejo forçado das suas terras sem um realojamento para perto do rio e o desenvolvimento de projetos produtivos. as lideranças relataram que esses impactos, causados pela construção da barragem, afetam de maneira diferenciada as mulheres e crianças. E manifestaram-se preocupadas com a implementação, no próximo ano, do plano de manuseamento para o fluxo do rio Xingu, que não prevê água suficiente para a sobrevivência das comunidades indígenas e ribeirinhas da região, e pode levar à extinção diversas espécies de plantas e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *