a falta de manutenção, lealdade ao modelo político, aumento dos gastos e ausência de controlo levaram ao encerramento de quase 20 por cento das empresas públicas, revela organização não governamental
a falta de manutenção, lealdade ao modelo político, aumento dos gastos e ausência de controlo levaram ao encerramento de quase 20 por cento das empresas públicas, revela organização não governamentalDas mais de 500 empresas em que o Estado venezuelano é proprietário ou acionista maioritário, cerca de um quinto estão inoperacionais por má gestão, e dezenas delas enfrentam denúncias de corrupção, revela um estudo divulgado recentemente pela organização não governamental (ONG) Transparência Venezuela. a falta de manutenção, destruição de equipamentos de gestão, a preponderância da ideologia e a lealdade ao modelo político, assim como o aumento dos gastos e a ausência de mecanismos de controlo, são as causas identificadas como principais responsáveis pela atual situação. Segundo os especialistas da ONG, num universo de mais de 400 empresas estatais, uma grande maioria foi criada ou adquirida durante os governos de Hugo Chávez e de Nicolás Maduro, através de expropriações, apreensões, nacionalizações e re-estatizações. a queda na produção do petróleo, que assegura 96 por cento dos rendimentos do país, ajudou a potenciar a crise económica e social, caracterizada pela escassez de alimentos e medicamentos, cinco anos de recessão e uma inflação que pode atingir os 10 mil por cento em 2019, segundo estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *