Bangladesh tentou iniciar o regresso dos refugiados a Myanmar, mas ninguém apareceu para apanhar o autocarro. as organizações de defesa dos direitos humanos pedem a suspensão da operação por falta de condições de segurança
Bangladesh tentou iniciar o regresso dos refugiados a Myanmar, mas ninguém apareceu para apanhar o autocarro. as organizações de defesa dos direitos humanos pedem a suspensão da operação por falta de condições de segurança Os refugiados rohingya frustraram esta semana o início do programa de repatriamento do governo do Bangladesh, que quer devolver a Myanmar milhares de pessoas desta minoria muçulmana que se refugiaram no seu território para fugir da violência. Nenhum refugiado compareceu no posto fronteiriço para apanhar o autocarro fretado para a operação. Desde agosto do ano passado, mais de 720 mil rohingya fugiram da violência do exército de Myanmar e das milícias budistas, refugiando-se no Bangladesh, onde já estavam cerca de 300 mil, instalados em campos do sudeste do país. Mataram dois dos meus filhos. Escapei para o Bangladesh com outras pessoas. Por favor não nos repatriem. Matarão o resto da minha família. Sou demasiado velha para fugir do campo, suplica Tajul Malluk, de 85 anos, uma das refugiadas que está na lista para ser devolvida a Myanmar. Depois de vários atrasos, o Bangladesh anunciou em finais de outubro que lançaria esta semana, depois de um acordo com Myanmar, o repatriamento de um primeiro grupo de mais de 2. 000 refugiados, a uma média de 150 repatriados por dia. Porém, as Nações Unidas, que qualifica a violência contra os rohingya de genocídio, pediu para que fosse suspensa a operação, pois considera que não estão reunidas as condições de segurança e ainda existem riscos de perseguição. Era como fazê-los regressar ao ciclo de violações de direitos humanos que esta comunidade sofreu durante décadas, justificou a alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet. a organização não governamental Human Rigths Watch também pediu a anulação imediata do repatriamento.