O reitor do Santuário de Fátima lembrou aos peregrinos da Cova da Iria que ser cristão é «uma questão de relação com Deus e com os outros», o que se trata de um «compromisso exigente»
O reitor do Santuário de Fátima lembrou aos peregrinos da Cova da Iria que ser cristão é «uma questão de relação com Deus e com os outros», o que se trata de um «compromisso exigente» a verdadeira força dos cristãos é o mandamento – amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua mente e com toda a tua força. [… ] amarás o teu próximo como a ti mesmo – apontou o reitor do Santuário de Fátima. Tudo o resto na nossa vida cristã só tem sentido se for a concretização disto, acrescentou Carlos Cabecinhas.
O sacerdote demonstrou aos cristãos presentes na Cova da Iria que o amor a Deus e o amor ao próximo são inseparáveis e nunca são concorrentes. O responsável frisou que ser cristão não é uma questão do cumprimento de normas mas uma questão de relação com Deus e com os outros, o que se trata de compromisso exigente.
Carlos Cabecinhas chamou ainda a atenção dos fiéis para a ilusão que é pensar que se ama a Deus quando desprezamos o outro. Não nos iludamos quando pensamos que amamos a Deus e depois desprezamos os outros, os que nos estão próximos, alertou. O sacerdote deu depois o exemplo que o amor a Deus e ao próximo assumiu para os três pequenos videntes de Fátima.
Eles fizeram esta forte experiência de Deus. Primeiro conduzidos pelo anjo, e depois por Nossa Senhora, tomaram consciência do grande amor de Deus por eles e, a partir daí, torna-se evidente o desejo de estar com Deus, de o consolar e de o amar acima de tudo. Mas quando olhamos para a sua vida percebemos que este amor a Deus não os distrai da atenção aos outros. Vemo-Los a rezar pelos pecadores, a interceder junto de Nossa Senhora pelas necessidades que lhes são apresentadas, ou a partilhar o pouco que têm – a merenda – com os mais pobres. O amar a Deus acima de tudo não os impede de ter sempre os outros no horizonte das suas preocupações, apontou o reitor, frisando que este é um exemplo a que os cristãos são convidados a reproduzir: viver duplamente o amor que o Evangelho nos apresenta.
as palavras de Carlos Cabecinhas foram proferidas na missa dominical a que presidiu na Basílica da Santíssima Trindade na manhã do último domingo, 4 de novembro. De acordo com os serviços de comunicação do Santuário de Fátima, foram milhares os peregrinos que encheram quase por completo a basílica. Na Eucaristia do programa oficial fizeram-se anunciar vários grupos de Portugal, Filipinas, Espanha, Itália e Estados Unidos da américa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *