Maioria dos requerentes é de nacionalidade brasileira. Seguiram-se os cidadãos de nacionalidade chinesa e os de Cabo Verde. No espaço comunitário, a Polónia foi o país que mais autorizações deferiu
Maioria dos requerentes é de nacionalidade brasileira. Seguiram-se os cidadãos de nacionalidade chinesa e os de Cabo Verde. No espaço comunitário, a Polónia foi o país que mais autorizações deferiu as autoridades portuguesas concederam o ano passado 37 mil novas autorizações de residência a pessoas oriundas de países terceiros, segundo dados revelados pelo gabinete europeu de estatísticas Eurostat. a nível global, na União Europeia foram concedidos um total de 3,1 milhões de vistos de residência. ao contrário do que sucedeu no espaço comunitário, onde a maioria dos pedidos estava relacionado com questões laborais, em Portugal a maioria das autorizações deveu-se a motivos familiares (46 por cento), seguindo-se o emprego e a educação. Os brasileiros foram os que mais pediram para permanecer no país, seguidos dos chineses e cabo-verdianos. No total dos números da União Europeia, a Polónia foi o país que maior número de autorizações passou o ano passado (683 mil), seguida da alemanha, Reino Unido, França e Itália. a nível europeu, a maior parte dos novos vistos de residência foi passada a ucranianos, seguindo-se os sírios e os chineses, refere o estudo, citado pela agência Lusa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *