autoridades sanitárias estão preocupadas com o elevado número de mortes infantis causado pela doença. Insuficiência da cobertura médica, falta de recursos e a fraca manutenção das unidades de saúde apontadas como causas principais
autoridades sanitárias estão preocupadas com o elevado número de mortes infantis causado pela doença. Insuficiência da cobertura médica, falta de recursos e a fraca manutenção das unidades de saúde apontadas como causas principais a malária é a causa de 35,5 por cento das mortes anuais de crianças com menos de cinco anos, na província angolana de Cuanza Sul, devido à insuficiente cobertura sanitária, fraca manutenção dos hospitais, entre outros fatores, avançou esta semana o governador provincial, Eusébio de Brito Teixeira. Segundo o governante, citado pela agência angop, na base destes índices elevados estão os problemas do sistema de saúde, a falta dos recursos humanos e técnicos de saúde, a falta de pessoal nas áreas rurais e periferias urbanas, debilidades no sistema de gestão, incluindo no de informação de logística e de comunicação. Eusébio Teixeira apontou ainda a insuficiência de recursos e inadequação de modelos de financiamento e o reduzido acesso à água potável, saneamento e energia, aliada à fraca cobertura vacinal como os principais problemas no setor da saúde local. Neste sentido, pediu aos profissionais de saúde uma maior atenção à vacinação, considerada a melhor forma de prevenção desta e de outras doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *