Segundo as Nações Unidas a dependência dos agricultores afegãos da producção do ópio deve-se a uma série de problemas estructurais que estes enfrentam na árida região.
Segundo as Nações Unidas a dependência dos agricultores afegãos da producção do ópio deve-se a uma série de problemas estructurais que estes enfrentam na árida região. “Devido à falta de um programa de irrigação e assistência adequados, os agricultores dependem do cultivo da papoila [usada para produzir o ópio] para o seu sustento”, disse Fazal Mohammad Fazli, coordenador regional da equipa das Nações Unidas (ONU) dedicada ao crime e às drogas em Kandahar, afeganistão.
Depois do conflito, o país continua a produzir 90 porcento do ópio em todo o mundo. a comunidade internacional criou programas de erradicação da droga no afeganistão depois das forças norte-americanas terem derrubado o regime talibã em 2001, mas estas tiveram pouco impacto na produção da papoila, apesar da erradicação forçada de grandes áreas.
O porta-voz do ministério anti-narcóticos, Mohammad azam, disse que a criação de formas de sustento alternativas é essencial no programa nacional de controlo da droga. “Durante o último mês, o governo deu fertilizantes e sementes, no valor de mais de 20 milhões de euros, aos agricultores”, explicou azam, acrescentando que não vai haver nenhuma forma de acordo com os que continuem a produzir ópio.
a própria economia nacional é sustentada pelo tráfico ilegal de droga. a ONU estima que mais de 50 porcento do produto interno bruto do afeganistão provém do ópio.
Os analistas estão cépticos quanto à presente Política de erradicação do cultivo da papoila. acreditam que a erradicação sob a ameaça das armas, sem oferecer qualquer compensação ou alternativa, alimenta o sentimento de insegurança no país. “Estão envolvidos muitos factores”, disse o escritor local Sadullah Ghelgai e acrescentou: “O desemprego, a pobreza, e a pressão dos traficantes de droga sobre os agricultores são os principais factores que levam ao cultivo da papoila”.
“Os agricultores estão entre dois fogos. Os governo obriga-os a abandonar o cultivo da papoila, porém os talibã e os poderosos traficantes de droga fazem pressão para que continuem os cultivos. alguns agricultores até abandonaram as suas casas e migraram para o Paquistão porque já não aguentavam tanta pressão”, disse abdurrahman, um analista local de Kandahar, à agência de notícias IRIN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *