Centenas de civis estão a abandonar a província de Idlib com receio de uma ofensiva do exército sírio contra o último bastião dos rebeldes. O regime de Bashar al-assad já enviou reforços para a região
Centenas de civis estão a abandonar a província de Idlib com receio de uma ofensiva do exército sírio contra o último bastião dos rebeldes. O regime de Bashar al-assad já enviou reforços para a região Depois de vários bombardeamentos pelas forças fiéis ao regime de Bashar al-assad, centenas de civis sírios começaram a fugir da província de Idlib, último grande bastião rebelde na Síria, por temerem uma ofensiva em larga escala do exército sírio, revelou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH). O governo está determinado a reassumir o controlo de todo o território, e enviou vários reforços com a ajuda militar russa para os limites da província, junto à fronteira com a Turquia, dominada pelos extremistas do Hayat Tahrir al-Sham, mas onde estão também outras importantes fações rebeldes. Em declarações às agências internacionais, Mohamed al Zir, um morador da cidade de Idlib, disse ter medo, sobretudo, dos ataques aéreos do governo e de seu aliado russo. São forças aéreas criminosas que cometem massacres entre os civis. Os bombardeamentos são selvagens e não têm alvos, atiram às cegas, acusou al Zir. Há várias semanas que o governo sírio concentra tropas nos arredores da província de Idlib, no noroeste do país. E há vários dias a artilharia do governo bombardeia intensamente o sudeste da província. a ONU teme que uma ofensiva do governo provoque o deslocamento de até 800. 000 pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *