autoridades detetaram mais de 800 estrangeiros sem autorização para permanecer no país, na província de Tete. a maioria foi repatriada e algumas dezenas aguardam a atribuição do estatuto de refugiado
autoridades detetaram mais de 800 estrangeiros sem autorização para permanecer no país, na província de Tete. a maioria foi repatriada e algumas dezenas aguardam a atribuição do estatuto de refugiado Uma operação de fiscalização lançada na província de Tete, em Moçambique, já levou à identificação e consequente repatriamento de 820 estrangeiros ilegais, nos primeiros sete meses do ano, informou esta semana a porta-voz da Direção Provincial de Migração, amélia Direito. Segundo a responsável, entre os repatriados figuram etíopes, congoleses, malawianos, zimbabweanos, ruandeses e zambianos, que foram apanhados a exercer diversas atividades económicas, sobretudo na cidade de Tete, a capital provincial. Mais de metade dos estrangeiros ilegais eram oriundos do Malawi, sendo o segundo maior grupo de nacionalidade congolesa. No lote de pessoas capturadas por se encontrarem em situação ilegal no país, 63 congoleses e um ruandês foram encaminhados para o Núcleo Provincial de Refugiados, na qualidade de candidatos ao estatuto de refugiados, ficando a aguardar os trâmites legais para atribuição de proteção internacional. a província de Tete faz fronteira com o Malawi, Zâmbia e Zimbabwe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *