Grupo de alunos em Fátima define a sua proveniência e opções de vida como um exemplo daquilo que é a «união, Igreja e esperança» entre os povos do mundo
Grupo de alunos em Fátima define a sua proveniência e opções de vida como um exemplo daquilo que é a «união, Igreja e esperança» entre os povos do mundo a diversidade geográfica, cultural, racial e vocacional num grupo de 60 pessoas que se encontram em Fátima a participar no Curso de Missiologia, foi colocada em evidência por Diana de Vallescar Palanca, doutorada em interculturalidade, que orienta a formação nesta quarta-feira, 29 de agosto.

a professora universitária distinguiu entre a audiência as diferentes faixas etárias, o país de origem, as atividades pastorais a que se dedicam, a quantidade de países em que viveram, e as temáticas de formações em que já participaram. a dinâmica orientada pela docente permitiu verificar uma forte presença asiática entre os alunos. Os formandos definiram o grupo que integram com variadas palavras, como Igreja, diversidade, união, esperança, comunhão e confraternização. a par desta disparidade, a especialista pediu aos formandos para terem também em consideração o carácter especial do local onde o curso está a decorrer. Fátima é um local de convocação mundial: de raças, línguas, culturas e nações, frisou.

Partindo depois de um olhar local, para uma perspetiva global, a professora debruçou-se sobre um amplo contraste entre as culturas africana e europeia, que verifica, sobretudo, durante as formações com voluntários. Os europeus são escravos do tempo. É um stress total e isso nem sempre ajuda aos processos de desenvolvimento pessoal. Em África não somos donos do tempo, e torna-se difícil entender isto culturalmente, demonstrou a responsável, sob fortes aprovações entre os alunos de várias proveniências que a escutavam.

O uso de uma palavra tão vulgar como Obrigado, assumiu uma dimensão particular após uma observação da docente – “Obrigado” é a palavra para entrar – frisou a especialista que ao longo de toda esta quarta-feira acompanha os alunos do Curso de Missiologia, sob o tema Multi-Interculturalidade. a formação está a decorrer nas instalações dos Missionários da Consolata desde o início desta semana, prolongando-se até sábado, 1 de setembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *