Especialista das Nações Unidas frisa que o acesso à água e aos serviços sanitários são meios para «melhorar a educação»
Especialista das Nações Unidas frisa que o acesso à água e aos serviços sanitários são meios para «melhorar a educação»Nem água para beber. Nem serviços sanitários. Era este o cenário nas escolas para cerca de 600 milhões de crianças em 2016, segundo um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado no início desta semana. No mesmo documento, especialistas das Nações Unidas deixam claro que quando as crianças têm acesso a água, instalações sanitárias e sabão para lavar as mãos, também têm um melhor ambiente para estudar, aprender e alcançar o seu potencial.
Se a educação é a chave para as crianças escaparem da pobreza, o acesso à água e aos serviços sanitários é a chave para melhorar a sua educação, frisa Kelly ann Naylor, responsável pelo setor da água, serviços sanitários e saúde das crianças, da UNICEF. Em comunicado, a profissional explica que ignorar esta realidade é uma negligência, e lamenta o facto de que conseguir fundos para estes serviços básicos nas escolas é uma batalha contra a corrente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *