Iniciativa tecnológica poderá contribuir para travar a cólera, malária, mortalidade infantil e Sida. ao mesmo tempo, poderá fazer com que as crianças possam aprender mais sobre os seus direitos
Iniciativa tecnológica poderá contribuir para travar a cólera, malária, mortalidade infantil e Sida. ao mesmo tempo, poderá fazer com que as crianças possam aprender mais sobre os seus direitosOs responsáveis pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) assinaram um acordo com uma operadora angolana de rede de telemóvel, quer permitirá aos seus clientes visitar um website com variadas ajudas, mesmo sem saldo na conta.com o nome Internet que Kuia, a plataforma digital foi especialmente concebida para ser consultada em telemóveis e tablets, e fornece informações sobre cuidados de saúde, higiene, direitos humanos e relacionamentos, sendo atualizada de forma regular.
as pessoas vão ter acesso a informações super-relevantes sobre como prevenir a cólera e a malária, como cuidar do seu recém-nascido, a questão da vacinação, qual o calendário vacinal e as raparigas também poderão esclarecer dúvidas sobre a questão da saúde sexual reprodutiva e muito mais, explicou Maria Estela Caparelli, gestora de comunicação para o desenvolvimento da UNICEF em angola, em declarações aos serviços de comunicação da ONU.
Em comunicado, os responsáveis pela UNICEF referem que o acesso à informação constitui um importante motor para ajudar a desenvolver um país e a melhorar os indicadores sociais, através de cidadãos bem informados e participativos. Os profissionais das Nações Unidas acreditam que uma mãe informada terá capacidade para proteger o seu filho de várias doenças, e um líder comunitário conseguirá melhorar a vida da sua comunidade.
Simultaneamente, um adolescente também poderá ajudar os seus amigos a evitar o vírus da Sida e a acabar com mitos relacionados com a sexualidade. ao mesmo tempo, as crianças poderão tomar conhecimento dos seus direitos. Internet que Kuia é a denominação em angola do projeto Internet of good things, ou Internet do bem, lançada em 2015 pela UNICEF. a iniciativa leva informação a 63 países. Em 2017, as páginas ligadas à plataforma tiveram quase 11 milhões de visitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *