a aproximação da cimeira da Comunidade de Desenvolvimento da África austral, motivou a amnistia Internacional a pedir as «medidas necessárias» para a segurança de pessoas albinas
a aproximação da cimeira da Comunidade de Desenvolvimento da África austral, motivou a amnistia Internacional a pedir as «medidas necessárias» para a segurança de pessoas albinasOs responsáveis pela amnistia Internacional (aI) interpelam as autoridades governamentais dos países da África austral a empenharem esforços para que os seus sistemas judiciais protejam as pessoas albinas, que são mortas na região por se acreditar que partes do seu corpo têm poderes mágicos, e que dão boa sorte e riqueza.
Tal crença faz com que as pessoas com este distúrbio vivam à mercê de gangues criminosos organizados que clamam pelo seu sangue na crença de que farão fortuna, explica Deprose Muchena, diretor regional da organização para a África austral. a realidade é que as pessoas com albinismo vivem com o medo constante de serem capturadas ou mortas por partes do seu corpo em toda a região, alerta. Segundo membros da aI, uma das agravantes desta problemática é a impunidade, comum a países como Maláui, Moçambique ou a Tanzânia.
a realização da cimeira da Comunidade de Desenvolvimento da África austral (SaDC, na sigla inglesa), na próxima sexta-feira e sábado, dias 17 e 18 de agosto, na Namíbia, motivou membros da aI a requerer à SaDC a promessa de dar prioridade e adotar as medidas necessárias para garantir o direito à vida, segurança e salvaguarda de pessoas com albinismo, conforme explica a organização não governamental num comunicado citado pela agência EFE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *