Gesto demonstra que a população está cada vez mais sensibilizada para a necessidade de proteger o meio ambiente e a saúde
Gesto demonstra que a população está cada vez mais sensibilizada para a necessidade de proteger o meio ambiente e a saúdeMais de 530 toneladas de resíduos de medicamentos foram entregues nas farmácias portuguesas no primeiro semestre deste ano, uma quantidade que leva a crer que até no final do ano sejam ultrapassados os valores registados em 2017, revela o relatório intercalar de atividades da sociedade Valormed, referente aos primeiros seis meses de 2018. Este aumento estendeu-se também ao subsistema da veterinária, com a entrega de pouco mais de 30 toneladas de resíduos de medicamentos.
Luís Figueiredo, diretor-geral da Valormed, destaca a importância do encerramento adequado do ciclo do medicamento. Temos procurado incentivar a mudança de comportamentos e é com satisfação que constamos que ano após ano tem havido um aumento do número de portugueses que já estão a fazer a separação dos resíduos de medicamentos em suas casas. acreditamos, por isso, que gerando mensagens positivas podemos chamar a atenção de um número ainda maior de cidadãos e levá-los a adotar comportamentos de valorização do ambiente, pois este sistema de gestão de resíduos foi criado para dar resposta ao desafio inadiável do setor de criar um sistema autónomo para a recolha e tratamento dos resíduos de medicamentos, explicou.
O responsável adianta que todos os materiais que restam depois da utilização dos medicamentos devem ser entregues nas farmácias, não sendo necessário proceder à sua separação. as pessoas podem entregar e depositar nos contentores Valormed não apenas os restos de medicamentos que já não utilizam ou que estão fora de prazo, mas também as embalagens e folhetos em papel e os acessórios que foram utilizados para facilitar a sua administração como colheres, copos, seringas doseadoras, conta-gotas, cânulas, etc. E, se houver dúvidas, podem aconselhar-se com os colaboradores das farmácias que prestarão todos os esclarecimentos necessários, indica Luís Figueiredo, em comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *