Mais de 80 por cento das vítimas mortais eram civis. O número de sequestros ultrapassou os 30 mil em seis décadas de confrontos
Mais de 80 por cento das vítimas mortais eram civis. O número de sequestros ultrapassou os 30 mil em seis décadas de confrontos O conflito armado na Colômbia provocou pelo menos 262 mil mortos em seis décadas, sendo que 82 por cento das vítimas eram civis, revela o mais recente relatório do Centro Nacional de Memória Histórica (CNMH), divulgado esta semana. a grande maioria das vítimas mortais que deixou a guerra eram membros da população civil: 215 mil civis contra 46. 813 combatentes, refere o documento, sublinhando que a responsabilidade do maior número de assassinatos é atribuida aos paramilitares da extrema direita. O primeiro relatório oficial sobre o conflito colombiano tinha sido publicado há seis anos e dava conta de 220 mil mortos, entre 1958 e 2012. O documento agora tornado público vai até 2018 e integra novas fontes, o que justifica o aumento do número de vítimas. Quanto às novas cifras de sequestros, um dos crimes mais repudiados pelos colombianos, a quantidade de casos passou de 27 mil para 37 mil, a grande maioria da autoria das Forças armadas Revolucionárias da Colômbia (FaRC) e do Exército de Libertação Nacional (ELN). O relatório será entregue à Jurisdição Especial para a Paz (JEP), o sistema de justiça criado pelo acordo que o ano passado desarmou e transformou em partido as FaRC para julgar os guerrilheiros e militares por delitos cometidos durante os confrontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *