Desertificação no norte da Nigéria está a obrigar os pastores da etnia fulani e de maioria muçulmana a procurar pastagens na região sul. a forma como se apoderam das terras está a gerar um novo foco de violência no país
Desertificação no norte da Nigéria está a obrigar os pastores da etnia fulani e de maioria muçulmana a procurar pastagens na região sul. a forma como se apoderam das terras está a gerar um novo foco de violência no país À violência do grupo extremista Boko Haram, a população da Nigéria junta agora uma nova preocupação: o avanço dos pastores da etnia fulani, que não olham a meios para conseguir pastagens para o seu gado. Empurrados pela desertificação no norte, estão a deslocar-se em massa para o sul do país e a obrigar os locais a deixarem as suas terras. Os pastores fulani avançam armados e querem obrigar com o medo e ameaças as populações locais a abandonarem suas terras para depois tomarem posse e reivindicar a propriedade, testemunhou o padre Roberto Castiglione, missionário salesiano, ao descrever o clima de tensão que vive em várias regiões do país africano. Segundo o sacerdote, para conquistarem as terras aos agricultores, os pastores usam da violência, deixando um rasto de morte e destruição por onde passam. Desde junho passado, há registo de pelo menos 200 agricultores mortos no estado de Plateau e as autoridades parecem continuar com dificuldades em controlar a situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *