Nova fórmula permite substituir o petróleo pela pedra calcária na produção de sacos de plástico, tornando-os solúveis em água. Primeiros exemplares devem chegar ao mercado em outubro
Nova fórmula permite substituir o petróleo pela pedra calcária na produção de sacos de plástico, tornando-os solúveis em água. Primeiros exemplares devem chegar ao mercado em outubro Começaram a fazer experiências para fabricar um detergente biodegradável e acabaram por descobrir uma fórmula química revolucionária, que permite substituir o petróleo pela pedra calcária no fabrico de sacos plásticos e tecido reutilizável. Este novo método permite dissolver o plástico em água fria e o tecido em água quente, sem prejudicar o meio ambiente. Segundo Roberto astete e Cristian Olivares, os dois inventores chilenos, ao substituírem os derivados de petróleo, evita-se a alta durabilidade do plástico e a sua entrada, por exemplo, na cadeia alimentar de animais marinhos. O nosso produto deriva de uma pedra calcária que não causa danos ao meio ambiente, explicou esta semana um dos empreendedores. a grande diferença entre o plástico tradicional e o nosso é que aquele vai estar entre 150 e até 500 anos no meio ambiente e o nosso demora apenas cinco minutos. Nós decidimos quando destruí-lo, adiantou Roberto astete, sublinhando que a fórmula encontrada permite fazer qualquer material plástico, razão pela qual já estão a trabalhar na produção de materiais como talheres, pratos e embalagens.como os fabricantes podem programar a temperatura a que os sacos se dissolvem no contacto com a água, os inventores asseguram que não há o perigo de se ficar sem o saco das compras quando chove. E garantem também que a produção em massa pode continuar a ser feita pelas empresas que fabricam os plásticos convencionais, sem grandes alterações de preço. Os primeiros exemplares devem chegar ao mercado em outubro, no Chile. Em 2014, foram produzidas 311 milhões de toneladas de plástico em todo o mundo. Se nada mudar, prevê-se que em 2050 essa produção ultrapasse os mil milhões de toneladas.com esta invenção, astete e Olivares esperam dar ao cliente a capacidade de ajudar a descontaminar o meio ambiente, pois pode decidir quando destruir o plástico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *