Crianças são as maiores vítimas: uma em cada sete morre antes dos cinco anos. Crise alimentar tem sido agravada pela violência do grupo extremista Boko Haram

Crianças são as maiores vítimas: uma em cada sete morre antes dos cinco anos. Crise alimentar tem sido agravada pela violência do grupo extremista Boko Haram
a organização Médicos sem Fronteiras (MSF) lançou um alerta para a situação de emergência alimentar que se vive no Chade, onde se está a agravar o quadro de desnutrição, que afeta sobretudo as crianças. Em cada sete menores, um morre antes dos cinco anos. É um país esquecido e as necessidades são muitas. a emergência é devido principalmente ao chamado período de estiagem, de maio a outubro, quando as colheitas são mínimas. Outra causa importante é o baixo nível de instrução da mulheres, por isso é difícil ensinar como distribuir uma correta alimentação dentro da família, explicou a agente de saúde dos MSF, Candida Lobes. Na região oeste de Salamat, tem-se registado um agravamento da crise nutricional, causada por práticas alimentares inadequadas, mudanças climáticas, dificuldade de acesso à terra e à água e por um frágil sistema sanitário. O hospital de am Timan, por exemplo, tem apenas 60 camas, mas só no mês de maio recebeu mais de 300 crianças desnutridas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *