Empresa norte-americana terá que indemnizar as povoações da amazónia equatoriana pelos danos causados durante as operações de exploração de petróleo entre 1964 e 1990
Empresa norte-americana terá que indemnizar as povoações da amazónia equatoriana pelos danos causados durante as operações de exploração de petróleo entre 1964 e 1990 O Tribunal Constitucional do Equador ratificou esta semana a sentença de última instância que condena uma petrolífera norte-americana a pagar uma indemnização de oito mil milhões de euros às povoações da amazónia equatoriana, por danos ambientais. a sentença anunciada pelo Tribunal Constitucional do Equador é consistente com o padrão de denegação de justiça, fraude e corrupção contra aChevronno Equador, apontou James Craig, assessor de comunicação da petrolífera, em um comunicado. Já Paulo Fajardo, advogado dos queixosos, entre eles alguns indígenas, realçou que após esta decisão do órgão máximo do sistema judicial não há nenhum recurso pendente que a empresa possa invocar para se evadir à condenação.como a petrolífera não possui ativos no Equador, os demandantes tentaram homologar-sem sucesso-a sentença em países como Estados Unidos, argentina e Brasil, para obter o embargo de bens da maior petroleira americana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *