arcebispo de Manágua responsabiliza o governo de Daniel Ortega pela violência a que se tem assistido no país nos últimos meses. Confrontos já provocaram mais de 300 vítimas mortais
arcebispo de Manágua responsabiliza o governo de Daniel Ortega pela violência a que se tem assistido no país nos últimos meses. Confrontos já provocaram mais de 300 vítimas mortais Os protestos na Nicarágua provocaram pelo menos mais 11 mortos e três dezenas de feridos, depois do governo ter reiterado, durante o fim de semana, que não ia antecipar as eleições marcadas para 2021. Não é desta forma que se constrói a paz, alertou o arcebipo de Manágua, cardeal Leopoldo Brenes. O purpurado responsabilizou diretamente Daniel Ortega, a vice-presdente Rosário Murillo, e o segundo da polícia nacional Francisco Díaz, pela violência que o país tem sofrido desde a explosão social de 18 de abril. ao Presidente Daniel, a Rosario, ao comissário geral Francisco Díaz, por favor, em nome de Deus, em nome deste povo católico presente nesta catedral, parem com esta ação, que trará mais dor e tristeza. Queiram ou não, esta situação afeta homens, famílias e toda a triste Nicarágua, afirmou o cardeal, na homilia da Missa celebrada na Catedral de Manágua. a Comissão Interamericana de Direitos Humanos e o alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos também já tomaram posição, acusando o governo nicaraguense de sucessivas violações de direitos humanos, através de assassinatos, execuções extrajudiciais, maus-tratos, possível tortura e detenções arbitrárias cometidos contra a população, predominantemente jovem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *