Responsável pela Interpol considera fundamental a partilha de informações entre as polícias, para antecipar e combater os novos métodos usados pelos terroristas
Responsável pela Interpol considera fundamental a partilha de informações entre as polícias, para antecipar e combater os novos métodos usados pelos terroristas O secretário-geral da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol), Jurgen Stock, acredita que o terrorismo está mais internacional e mais complexo do que nunca e aponta a partilha de informações e uma forte aliança contra as redes terroristas como forma de combater este fenómeno. Para este responsável, que participa na primeira Conferência de alto Nível sobre Contraterrorismo, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, Estados Unidos da américa, o mais importante é informar toda a gente de informação relevante necessária pela polícia nas linhas de frente, porque os terroristas e criminosos também estão, sem dúvida, a aproveitar a globalização. Em declarações à ONU News, Stock destacou o facto dos terroristas estarem permanentemente a preparar-se para novos métodos de ataque, sobretudo contra infraestruturas públicas, e revelou que a Interpol, além de investir mais em cibersegurança, criou também uma unidade específica para proteção de infraestruturas. Nos últimos anos, este órgão de polícia criminal criou ainda uma base de dados com mais de 40 mil perfis de combatentes terroristas estrangeiros. Um recurso que já permitiu identificar terroristas noutro continente, através das amostras de aDN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *