a insegurança sentida pelo clero, agravada pelo assassinato de três padres nos últimos meses, fez aumentar os pedidos de autorização às autoridades policiais para utilização de armas de fogo
a insegurança sentida pelo clero, agravada pelo assassinato de três padres nos últimos meses, fez aumentar os pedidos de autorização às autoridades policiais para utilização de armas de fogoO diretor-geral da polícia das Filipinas, Oscar albayalde, anunciou recentemente que no último ano mais de 200 sacerdotes católicos e pastores outras comunidades cristãs requereram a licença de uso e porte de arma. Segundo dados oficiais, entre junho do ano passado e junho deste ano, foram recebidos pela polícia pedidos de 188 sacerdotes católicos e 58 de outras igrejas cristãs. as solicitações de uso e porte de arma por parte dos sacerdotes dispararam após o assassinato de três padres nos últimos seis meses.como autoridade competente, podemos aprovar os pedidos devidamente fundamentados, o que permitiria a posse de armas aos membros do clero e aos líderes das congregações religiosas, afirmou albayalde, especificando, no entanto, que até agora nenhum dos requerimentos foi aprovado. Quem não está de acordo com esta corrida ao armamento são os bispos católicos e os líderes religiosos, que consideram não fazer sentido os agentes pastorais andarem com armas para sua proteção. Os sacerdotes sempre enfrentam o perigo de morte no exercício do seu ministério, mas em vez de serem portadores de armas, devem estar prontos para dar as suas vidas por Cristo, alertou o presidente da Conferência Episcopal das Filipinas, Rómulo arguelles, citado pela agência Fides.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *