Reagindo a uma série de explosões no passado Domingo em várias igrejas cristãs o arcebispo Louis Sako, de Kirkuk, disse: ” a comunidade cristã iraquiana volta a tornar-se numa igreja de mártires”.
Reagindo a uma série de explosões no passado Domingo em várias igrejas cristãs o arcebispo Louis Sako, de Kirkuk, disse: ” a comunidade cristã iraquiana volta a tornar-se numa igreja de mártires”. Depois de celebrar o funeral de Fadi Raad Elias, uma das vítimas das bombas, o arcebispo Sako disse à organização ajuda à Igreja Necessitada (aIN) que os fiéis acorreram em massa à catedral de Kirkuk mostrando que apesar da violência, “estão mais comprometidos que nunca com o cristianismo”.
Também disse que o grande número de muçulmanos que participaram nos funerais é uma fonte de conforto, e que os católicos no Iraque não vão permitir que esses actos de agressão os levem a abandonar o país.
O arcebispo Sako frisou que, graças à aIN, ele podia dar assistência às famílias das vítimas. “Estão muito agradecidos”, disse. “Para eles é um importante gesto de solidariedade, pois mostra que não estão sozinhos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *