Encontro em Lisboa junta representantes consulares dos 50 países mais representados em Portugal e várias associações ligadas ao trabalho com os migrantes. Participantes são convidados a levar um pão para partilhar
Encontro em Lisboa junta representantes consulares dos 50 países mais representados em Portugal e várias associações ligadas ao trabalho com os migrantes. Participantes são convidados a levar um pão para partilhar a Cáritas Portuguesa e a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) vão promover um encontro no próximo dia 20 de junho, para assinalar o Dia Mundial do Refugiado, e responder ao apelo do Papa Francisco para a promoção da cultura do encontro, com migrantes e refugiados. a sessão terá início às 17h00, no Salão almada Negreiros, na Gare Marítima da Rocha Conde d”Óbidos, em Lisboa, e contará com a presença do primeiro-ministro antónio Costa, entre outras entidades religiosas e governativas. Integrada na Semana Global de ação Conjunta da campanha internacional Partilhar a Viagem, que congrega os 165 países onde a Cáritas se encontra representada, a iniciativa conta com a presença de representantes consulares dos 50 países mais representados em Portugal e com um conjunto alargado de associações ligadas ao trabalho com migrantes. Queremos com esta campanha e particularmente com este evento, no Dia Mundial do Refugiado, alertar para as muitas motivações que levam homens e mulheres a deixar o seu país e a quebrar barreiras que impedem o acolhimento que todos nos merecem. a Cáritas preocupa-se acima de tudo com as pessoas e o respeito pela sua dignidade e, por isso, não podemos deixar de apelar aos governos da União Europeia para que assumam, do ponto de vista humanista, os desafios e as oportunidades que as migrações representam, explica Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa. Segundo o responsável, este evento ganha particular importância para a Cáritas Portuguesa que tem acompanhado, com preocupação, a viagem do navio aquarius e a resposta dada por parte dos países europeus às 629 vidas a bordo. É um desafio global que transcende as fronteiras dos países membros e que, como desafio da comunidade, não pode estar sujeito a compromissos políticos ou interesses de curto prazo. a situação afeta a dignidade e os direitos de todos e não apenas daqueles que viajam a bordo do navio, o que exige uma visão a longo prazo na Europa, sublinha Eugénio Fonseca. Do programa do encontro, destaque para o testemunho de Rafat, refugiado sírio do restaurante Mezze, de Joana Balaguer, atriz brasileira a trabalhar e residir em Portugal, e do padre Paulo Duarte, antigo comissário de bordo e que viveu fora do país e durante vários anos. Também em evidência estará o momento do Pão da Partilha em que todos os convidados são desafiados a trazer um pão representativo do seu país ou região, para partilhar num lanche convívio que materializa, num gesto simbólico, os quatro verbos que estão por detrás de toda a iniciativa: acolher, proteger, promover e integrar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *