Um estudo recente e muitos casos públicos de violência de género provocam preocupação no Malawi. O presidente e várias agências humanitárias exigem acção imediata.
Um estudo recente e muitos casos públicos de violência de género provocam preocupação no Malawi. O presidente e várias agências humanitárias exigem acção imediata. Um estudo pedido pela Organização Não-Governamental (ONG) actionaid e pelo Fundo para as Crianças das Nações Unidas (UNICEF) e outros parceiros humanitários, que se debruçou sobre um milhar de meninas em idade escolar, chegou à conclusão que mais de metade delas experimentou alguma forma de abuso sexual na escola.
a informação vai permitir ao governo e às ONG “compreender a natureza e disseminação da violência contra as meninas durante o processo educativo, o que deve ajudar a enfrentar o ainda mais extenso problema nacional de violência contra as mulheres”. Foram recomendadas medidas urgentes contra este tipo de violência em casa e na escola.
Quase 15 por cento das 1. 496 meninas inquiridas não vão à escola. Casamento, gravidez e abuso sexual por parte dos colegas e dos professores foram as principais razões apresentadas. De acordo com o estudo mais de metade destas crianças sofreram alguma forma de abuso sexual, destas, mais de metade nunca denunciaram os factos a qualquer autoridade escolar ou policial. Só dois porcento apresentaram denúncia à polícia. Mas os poucos que foram julgados receberam penas suaves. O governo considera agora mudar as leis que protegem as mulheres contra o abuso.
O presidente Bingu wa Mutharika também denunciou publicamente a violência contra as mulheres. “Meninas estão a ser violadas; a algumas mulheres as mãos foram cortadas pelos maridos e outras têm partes do corpo removidas pelos seus agressores. Quanto se diferenciam estas pessoas dos animais?” Lançou depois um apelo às ONG, grupos religiosos e outras organizações para que se unam na luta contra este problema.
Segundo a UNICEF, a presente escassez de alimentos também tem um forte impacto na vulnerabilidade das crianças. ” a situação humanitária no Malawi é muito séria, devido à combinação mortal de pobreza crónica, más condições climatéricas, más colheitas, uma grande prevalência de pessoas infectadas com o ví­rus da sida e um surto de cólera”, disse a agência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *