O músico César López chamou à sua invenção “escopetarra”, uma fusão entre “escopeta” (espingarda) e guitarra: não parece muito diferente de uma arma, mas só dispara as notas que as suas cordas produzem.
O músico César López chamou à sua invenção “escopetarra”, uma fusão entre “escopeta” (espingarda) e guitarra: não parece muito diferente de uma arma, mas só dispara as notas que as suas cordas produzem. a ideia de transformar uma metralhadora aK-47, confiscada aos paramilitares que se desarmaram no contexto do processo de paz, num instrumento musical surgiu depois do ataque ao clube El Nogal em Bogotá. Este ataque à bomba provocou a morte de 36 pessoas.
Com um grupo de amigos corremos para o local e tocámos como forma de protesto contra a violência. Quando peguei na minha guitarra notei que ao meu lado estava um soldado, que de algum modo se assemelhava a mim”, disse López, segundo a agência de notícias MISNa.
Desde então o artista criou cinco tipos de “escopetarra”: alguns foram comprados por músicos colombianos famosos; porém, a maior parte da produção tem sido usada para apoiar a campanha da vice-presidência contra as minas anti-pessoais, que só no último ano mataram 280 pessoas na Colômbia.
Entretanto, López criou a sua Orquestra Neutral, um grupo composto por uns 200 músicos envolvidos na promoção da paz e da sociedade civil, que tanto tem sofrido com os 40 anos de guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *