O grupo islâmico Hamas teve uma surpreendente vitória nas eleições parlamentares palestinianas de quarta-feira.
O grupo islâmico Hamas teve uma surpreendente vitória nas eleições parlamentares palestinianas de quarta-feira. Os resultados preliminares dão 76 dos 132 assentos no parlamento ao Hamas, enquanto o partido em governo conseguiu apenas 43 assentos. Esta vitória coloca problemas aos esforços para recomeçar os diálogos de paz com Israel, que insiste em não negociar com uma autoridade que inclua o Hamas.
O líder palestiniano Mahmoud abbas, figura principal do partido Fatah, diz continuar comprometido com uma solução pacífica. “O nosso principal objectivo é pôr termo à ocupação e ter um estado palestiniano independente”, disse numa conferência de imprensa.
O primeiro-ministro ahmed Qurei, do Fatah, ofereceu-se para resignar e o partido disse que não vai juntar-se ao Hamas no governo.
Em Israel, o primeiro-ministro interino Ehud Olmert disse, depois de uma reunião de emergência de três horas, que Israel não vai negociar com um governo palestiniano que inclua o Hamas. “Israel não vai negociar com o governo palestiniano se este incluir qualquer membro de uma organização de terrorismo armado que pede a destruição de Israel”, disse Olmert.
Jeremy Bowen, correspondente da agência de notícias britânica BBC, disse que o primeiro grande teste do Hamas é uma transferência de poder ordenada. Se o puderem fazer, os palestinianos podem ter esperança de uma unidade nacional, caso contrário, o futuro próximo é cinzento.
líderes de todo o mundo pedem ao Hamas que renuncie à violência, mas Mahmoud Zahar, um dos fundadores do partido, recusa afirmando que usam a violência como defesa contra as agressões israelitas.
Na quinta-feira houve confrontos entre apoiantes do Hamas e do Fatah. Os apoiantes do Hamas tentaram colocar a sua bandeira no parlamento palestiniano, o que provocou a reacção dos membros do Fatah. a polícia controlou a situação em 10 minutos.
Os olhos do mundo estão agora sobre a Palestina, esperando a reacção do Hamas. O próprio estado de Israel parece estar na expectativa.

Esta semana a Fátima Missionária está a realizar um inquérito sobre o efeito das eleições palestinianas no processo de paz do Médio Oriente. Participe e expresse a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *