Em Portugal são meio milhar. No mundo são dez milhões. No próximo domingo há um peditório nacional que reverte a favor de projectos de tratamento e reabilitação de leprosos.
Em Portugal são meio milhar. No mundo são dez milhões. No próximo domingo há um peditório nacional que reverte a favor de projectos de tratamento e reabilitação de leprosos. Há dois mil novos casos de lepra, por dia, em todo o mundo. actualmente são quase 10 milhões, os que sofrem os efeitos deste flagelo (dos quais dez por cento são crianças), sem meios económicos para se tratarem, apesar de já haver tratamento e cura para esta doença.
Em Portugal os hansenianos são meio milhar, o que não constitui problema de saúde pública. Estes casos concentram-se tradicionalmente no centro litoral do país.
a associação Portuguesa amigos de Raoul Follerau, graças a colaboradores e amigos financia 80 projectos anuais em 35 países, ajudando a tratar anualmente, um milhão de pessoas.
a pobreza e a fome, a falta de limpeza e de informação provocam o aparecimento de 600/700 novos casos de lepra, por ano, em todo o mundo.
No domingo, 29 de Janeiro, celebra-se o 53º Dia Mundial dos Leprosos, instituído pela ONU, em 1954, a pedido de Raoul Follereau. O objectivo é “proporcionar à população mundial a reflexão e sensibilização para a grave situação de tantos milhões de seres humanos afectados pela Terrí­vel doença da lepra”.
No próximo domingo, o peditório nacional destina-se ao tratamento e cura, à reabilitação e reinserção de milhares de leprosos, doença que já tem cura e que só a pobreza impede a sua erradicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *