O maior hospital pediátrico do país está a funcionar muito abaixo da sua capacidade total depois de um ataque à bomba há apenas um mês, revelaram os médicos.
O maior hospital pediátrico do país está a funcionar muito abaixo da sua capacidade total depois de um ataque à bomba há apenas um mês, revelaram os médicos. O Hospital Central para Crianças da capital do Iraque, Bagdade, foi atingido por um bombista suicida num atentado contra um oficial da polícia a 19 de Dezembro. Dois seguranças e dez trabalhadores do hospital foram feridos no ataque.
” a explosão atingiu a Clínica de emergência causando grandes danos ao departamento de cirurgia, aos laboratórios e aos quartos dos pacientes, e destruiu grande parte do equipamento médico”, disse o director do hospital Shehab ahmed al-azawi. Este é o único hospital do país especializado em saúde infantil. Todas as cirurgias foram canceladas desde o ataque. as operações urgentes têm que ser feitas noutros hospitais.
Depois da invasão norte-americana e da ocupação do país em Março 2003, o hospital recebeu ajuda, equipamento e medicamentos de várias organizações internacionais. “Mesmo depois de todas as reparações, o hospital ainda sofria de falta de equipamento, de garrafas de oxigénio e de medicamentos”, disse o doutor Maha Bashi, gestor do hospital. “Porém, depois do ataque, o hospital encontra-se numa situação crí­tica”. O número de camas foi reduzido de 365 para apenas 100.
Entretanto, um cartaz na entrada pedindo desculpa pelos inevitáveis atrasos é pouca consolação para os pais desesperados que trazem os seus filhos.
Um membro do ministério da saúde disse que a reconstrução do hospital exigiria quase 10 milhões de euros, acrescentando que o governo espanhol já ofereceu alguns fundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *