O homem vive numa sociedade light onde tudo está ao mesmo nível e tem o mesmo valor. Para contrariar esta situação e chegar aos jovens, com um poder persuasor é preciso “viver a experiência cristã”.
O homem vive numa sociedade light onde tudo está ao mesmo nível e tem o mesmo valor. Para contrariar esta situação e chegar aos jovens, com um poder persuasor é preciso “viver a experiência cristã”. Numa sociedade sem referencial de valores, em que há muitas fontes de saber concorrendo com a escola, em que as convicções são light e se promove o individualismo, é preciso quebrar barreiras. a preocupação pela verdade, o primado do amor, a dignidade pessoal, respeito pelo outro, Juan ambrósio defendeu que “nem todos os sinais valem o mesmo” e que “o critério é a pessoa humana”, durante o Conselho Nacional de Pastoral Juvenil, a 20 de Janeiro.
aos 50 participantes, animadores de pastoral juvenil, o professor da Universidade Católica aconselhou a não terem uma “preocupação obsessiva com as dificuldades”. Para que estas não consumam toda a energia e façam desviar do essencial: “viver a experiência cristã”.
a segunda dica para bem empreender um bom trabalho de pastoral juvenil reside em “nos preocuparmos em viver Deus”, no dia a dia.
a preocupação de “converter todos” deve ficar arredada, salientando o professor que “talvez seja bom que exista no mundo, não cristãos, para que nos interpelem” e que “nos ajudem a entender que a verdade é maior que nós e o nosso entendimento. E que Deus é maior e não pode ser aprisionado por ninguém, para que possa ser procurado por todos”.
Conclusão: “Tudo isto tem que passar pelo anúncio explí­cito do evangelho”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *