Bento XVI encorajou os católicos e os luteranos a ultrapassar as divisões, como aconteceu em 1999 com a histórica Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação.
Bento XVI encorajou os católicos e os luteranos a ultrapassar as divisões, como aconteceu em 1999 com a histórica Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação. a exortação papal foi ouvida por uma delegação ecuménica da Finlândia, que visitou o Vaticano. a visita da delegação finlandesa já era um acontecimento comum na semana de oração pela unidade dos cristãos durante o pontificado de João Paulo II. O bispo luterano Mikko Heikka e o bispo católico Jozef Wróbel encabeçaram a delegação.
“Estas visitas são uma ocasião para mais trabalho produtivo, assim como para aprofundar o ecumenismo espiritual, que leva os cristãos divididos a dar valor às muitas coisas que os unem”, disse o Santo Padre, dirigindo-se à delegação.
” a presente Comissão de Diálogo entre Católicos e Luteranos na Finlândia e na Suécia tem como princípio fundador a Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação”, assinada na alemanha em 1999. a declaração permite ultrapassar uma das razões teológicas que deram origem à reforma protestante.
” a comissão continua a estudar o que foi acordado e as implicações práticas da declaração conjunta. Deste modo procura enfrentar as diferenças que ainda existem entre os luteranos e os católicos em algumas questões de fé e vida da igreja, sempre testemunhando a verdade do Evangelho”, frisou o Papa.

E acrescentou: “Estamos conscientes de que a unidade é uma graça, a qual precisamos de pedir continuamente a Deus”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *