” a situação na Costa de Marfim é confusa”, informa o nosso correspondente neste país da África Ocidental, que pediu o anonimato.
” a situação na Costa de Marfim é confusa”, informa o nosso correspondente neste país da África Ocidental, que pediu o anonimato. Desde 16 de Janeiro há manifestações organizadas pela Federação Estudantil da Costa de Marfim (FESCI). Os estudantes e universitários do sul do país “próximos do presidente Laurent Gbagbo, estão a bloquear as estradas das grandes cidades”. Fazem manifestações diante dos postos militares das forças das Nações Unidas (ONUCI). Na capital, abijan, têm causado estragos materiais, destruindo sobretudo carros civis e da ONUCI. O nosso correspondente foi interceptado por manifestantes em San Pedro, tendo conseguido sair incólume na estrada do Grand-Bereby.
as manifestações tiveram origem na recente declaração do Grupo Internacional de Trabalho (GTI), encarregado de pôr em prática a resolução 1633 da ONU. Esta prevê a dissolução da assembleia Nacional, para conferir ao governo plenos poderes. O movimento estudantil não está de acordo, porque o partido do presidente (FPI) tem maioria absoluta no Parlamento.
Segundo o nosso correspondente, trata-se de uma demonstração para fazer ver ao primeiro-ministro e ao seu governo que “o poder se encontra na rua e nas mãos da FESCI”. é uma situação que está a paralisar as escolas, pois os alunos são obrigados a sair para as ruas e a manifestarem-se na praça pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *