é preciso aceitar o outro, que é diferente, seja na escola ou na sociedade e aceitar que esta diferença é uma mais valia. Desafios deixados aos participantes do Encontro Nacional de apoio ao Imigrante.
é preciso aceitar o outro, que é diferente, seja na escola ou na sociedade e aceitar que esta diferença é uma mais valia. Desafios deixados aos participantes do Encontro Nacional de apoio ao Imigrante. Reagrupamento familiar é o tema escolhido para o sétimo Encontro Nacional de apoio ao Imigrante que se realizará em Janeiro de 2007. O tema foi anunciado no final dos trabalhos do sexto encontro que terminou esta manhã, em Fátima, subordinado ao tema Outras culturas, a mesma cidadania e que juntou seis dezenas de participantes.
É preciso contrariar a tendência da homogeneidade e aceitar o incómodo da diferença, nas escolas. Esta é uma das propostas que resulta deste encontro de formação que juntou técnicos e voluntários das Cáritas diocesanas e dos Secretariados das Migrações.
Outro dos objectivos é afirmar o realismo de uma cultura religiosa que inclua as diferentes tradições, bem como a necessidade de meios humanos e materiais para ultrapassar barreiras que impedem a realização da cidadania. Sugerido foi também que sacerdotes realizem estágios em países de destino da emigração e de origem da imigração.
ausência notada das diferentes Capelanias (africana, ucraniana e brasileira) bem como de dioceses importantes, assinalou, no final do encontro o padre Rui Pedro, director da Obra católica Portuguesa de Migrações e elemento da organização.
a aplaudir o crescente número de participantes de institutos religiosos e de movimentos.
Leia as conclusões na íntegra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *