Uma das riquezas mais preciosas da Igreja é constituída pelas famílias cristãs, a quem o Santo Padre pede para evangelizar o nosso mundo.
Uma das riquezas mais preciosas da Igreja é constituída pelas famílias cristãs, a quem o Santo Padre pede para evangelizar o nosso mundo.

Bento XVI concedeu uma audiência a cerca de dez mil pessoas pertencentes a comunidades do Caminho Neocatecumenal. além dos fundadores Kiko arguello, Cármen Rodrí­guez e padre Mario Pezzi estavam presentes 1. 100 sacerdotes formados nos 63 seminários nascidos destas comunidades assim como 1000 seminaristas e 700 catequistas itinerantes.

Kiko arguello apresentou ao Santo Padre 200 famílias para serem enviadas em missão. Irão evangelizar sobretudo as zonas descristianizadas da Europa e da américa, mas também países que não conhecem o Evangelho como a China ou países de maioria muçulmana, como é o caso do Sudão. Um dos núcleos familiares (pai, mãe e sete filhos) parte para Chicago, nos Estados Unidos, um casal com nove crianças parte para a austrália, uma família com seis filhos irá para o Japão. O Papa enviou também sete sacerdotes, cada um acompanhado por três famílias, para a ex-alemanha Oriental, para a Holanda e para o Sul da França.

as “famílias missionárias” deste movimento nasceram em 1986 como resposta ao apelo de João Paulo II para empreender uma nova evangelização. Os seus membros oferecem-se como voluntários para acudir às nações onde é necessário ajudar a Igreja. «Testemunhai com vossa história que o Senhor não abandona a quem confia nele. Continuai a difundir o Evangelho da vida», recomendou-lhes o Papa.

Como o próprio Bento XVI afirmou, as comunidades pedem que seja o Papa a cumprir este gesto, «porque a vossa acção apostólica deve integrar-se no coração da Igreja, em plena sintonia com suas directrizes e em comunhão com as Igrejas particulares nas quais ireis trabalhar, valorizando plenamente a riqueza dos carismas que o Senhor suscitou por meio dos iniciadores do Caminho».

O Papa apresentou como centro da missão Cristo, o qual «celebrado nos ritos litúrgicos, constitui um caminho privilegiado e indispensável para construir comunidades cristãs vivas e perseverantes», mas recomendou que estejam atentos a seguir as normas litúrgicas estabelecidas pela Igreja, tal como ultimamente pediu uma nota particular da Santa Sé enviada às comunidades neocatecumenais.

Existem actualmente 20. 000 comunidades do Caminho neocatecumenal em mais de 6. 000 paróquias de 900 dioceses. as comunidades agrupam cerca de um milhão de católicos. De seu seio surgiram até 3 mil sacerdotes (mil dos quais estudaram nos seminários «Redemptoris Mater»), 1. 500 seminaristas e 5. 000 religiosos. Iniciado em 1964 pelo pintor Kiko arguello e Cármen Rodrí­guez, o Caminho neocatecumenal, cujos estatutos foram aprovados pela Santa Sé em 29 de Junho de 2002, está «ao serviço dos bispos diocesanos e dos párocos como uma modalidade para redescobrir o sacramento do Baptismo e para proporcionar uma educação permanente da fé”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *