a escola deve ser um local onde se educa para a coexistência amigável e pacífica de diferentes povos e culturas. a escola enquanto lugar de interculturalidade é o desafio que se impõe.
a escola deve ser um local onde se educa para a coexistência amigável e pacífica de diferentes povos e culturas. a escola enquanto lugar de interculturalidade é o desafio que se impõe. O desafio premente que se impõe é “não só acolher bem o imigrante como também a nação em que ele se integra”, afirmou Roberto Carneiro durante a conferência “Educar para a inter-culturalidade”, do VI Encontro de apoio Social ao Emigrante que decorre até amanhã, em Fátima.
Ou seja, não se trata apenas de acolher e fazer um esforço de acolhimento e integração do imigrante bem como o respeito e acolhimento da riqueza cultural que cada imigrante, de cada cultura traz consigo.
é preciso então “reinventar a escola com consciência intercultural, em que a cultura pensa nas demais culturas”. a cultura da sociedade que acolhe não deve portanto fechar-se em si própria mas alargar-se de modo a incluir outros pontos de vista, mais conteúdos e inclusive, a comemoração de datas especiais para povos de outras culturas. a escola deve pensar e agir segundo uma “didáctica da interculturalidade”, o modo como todos diferentes, podem viver juntos sem preconceitos, sem discriminação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *