Um número massivo de eleitores aprovou no referendo de Dezembro 2005 a reforma constitucional, espera-se agora que o próximo passo sejam as eleições gerais na República Democrática do Congo.
Um número massivo de eleitores aprovou no referendo de Dezembro 2005 a reforma constitucional, espera-se agora que o próximo passo sejam as eleições gerais na República Democrática do Congo. Segundo os resultados oficiais, publicados na quarta-feira pela Comissão Eleitoral Independente (CEI), mais de 84 porcento votaram a favor da nova constituição.
O presidente da comissão, apolinaire Malu Malu, disse que os resultado do referendo, que decorreu a 18 e 19 de Dezembro, têm agora que ser ratificados pelo Supremo Tribunal antes de ser definitivos. Disse que quase 62 porcento dos eleitores votaram a favor da nova constituição, 15. 5 milhões de pessoas, entre estes houve 38 porcento de abstenções.
Os resultados refletem uma forte rejeição a um apelo feito por Etienne Tshisekedi, um veterano da Política, para que o processo fosse boicotado. Porém, depois dos resultados provisórios demonstrarem um forte apoio ao documento, Tshisekedi anunciou o fim do seu apelo ao boicote.
apesar de ter sido um processo livre e justo, Malu Malu disse que houve irregularidades com a documentação em alguns lugares de voto. Estas irregularidades incluem a falta de relatórios, alterações, assim como uso de caixas de voto não autorizadas. ” a CEI anulou todos esses resultados”, frisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *