a Campanha de Controlo das armas lançou um apelo a todos os membros da Nações Unidas para que no encontro desta semana preparem as bases para um Tratado de Controlo de armas.
a Campanha de Controlo das armas lançou um apelo a todos os membros da Nações Unidas para que no encontro desta semana preparem as bases para um Tratado de Controlo de armas. a Campanha de Controlo de armas (CCa) é uma iniciativa conjunta das seguintes organizações não governamentais: Oxfam Internacional, amnistia Internacional e a Rede de acção sobre as armas de Fogo. O seu objectivo é reduzir a proliferação de armas e convencer os governos a introduzir um tratado de comércio de armas com peso legal. a CC a publicou um relatório sobre a venda de armas para o Haiti, a República Democrática do Congo e a Serra Leão.
é uma forma de fazer pressão sobre o encontro das Nações Unidas, a decorrer esta semana em Nova Iorque, que tem como objectivo preparar a conferência de Junho que se vai debruçar sobre o problema das armas.
“Em 2006, o mundo tem uma opção. Pode continuar a ignorar o massivo custo humano da proliferação das armas ou, finalmente, actuar para controlar o comércio das armas”, disse Barbara Stocking, directora da Oxfam. “Só um criminoso venderia deliberadamente uma arma a um criminoso, no entanto os governos podem vender armas a regimes com um historial de violações dos direitos humanos, ou a países onde as armas vão parar às mãos de criminosos”.
“Os civis da Serra Leão, da República Democrática do Congo e do Haiti, assim como de outros países, são vítimas de uma onda de mortes, violações e raptos. O comércio de armas sem regulamentação tem fomentado estas atrocidades. Estas vítimas não podem influenciar pessoalmente os políticos que vão decidir a actitude a tomar quanto aos vendedores irresponsáveis de armas, mas as suas vozes, e as de centenas de milhar de pessoas cujas vidas são desvastadas pela violência armada cada ano, têm que ser ouvidas”, disse Rebecca Peters, directora da Rede de acção sobre as armas de Fogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *