Falta de financiamento pode afetar cerca de 60 mil famílias Sírias que estão refugiadas na Jordânia ou no Líbano, alerta o alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados
Falta de financiamento pode afetar cerca de 60 mil famílias Sírias que estão refugiadas na Jordânia ou no Líbano, alerta o alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados a braços com um défice de financiamento de mais de 800 milhões de euros, o alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (aCNUR) necessita urgentemente de 166 milhões de euros para evitar a suspensão da ajuda financeira a cerca de 60 mil famílias sírias que se encontram refugiadas na Jordânia e no Líbano. apesar dos compromissos generosos, dos programas humanitários e das comunidades que os acolhem, os refugiados sírios estão a ficar sem recursos. Para que não haja cortes grandes e dramáticos nos serviços básicos na segunda metade do ano, são necessárias contribuições adicionais, alertou o porta-voz do aCNUR, andrej Mahecic. as famílias sírias ameaçadas pela falta de financiamento recebem uma verba mensal de cerca de 200 euros, através da agência das Nações Unidas, e um terço delas depende dessa ajuda para sobreviver. É o caso de Fatmeh, 31 anos, que encontrou refúgio na Jordânia, mas se vê obrigada a deixar os seus oito filhos em casa, sozinhos, para trabalhar. Um deles sofre de uma doença grave.