Estudo desenvolvido por especialistas do Banco Mundial revela que a maioria dos países tem feito muito pouco para fortalecer os sistemas de prevenção e de combate às pandemias
Estudo desenvolvido por especialistas do Banco Mundial revela que a maioria dos países tem feito muito pouco para fortalecer os sistemas de prevenção e de combate às pandemias O custo anual de uma pandemia classificada como moderadamente severa ou severa pode ascender a mais de 500 mil milhões de euros, mas ainda assim, e apesar dos avanços conseguidos após as crises com o Zika e o Ébola, a maioria dos países ainda não está devidamente preparada para enfrentar uma pandemia. a conclusão é de um estudo do Banco Mundial, divulgado esta quinta-feira, 25 de maio. O mundo ainda está a fazer muito pouco para financiar as ações recomendadas pelas autoridades para fortalecer os sistemas de preparação para enfrentar uma nova pandemia, afirmam os especialistas do organismo das Nações Unidas, nas conclusões do estudo Do Pânico e da Negligência ao Investimento em Segurança de Saúde: Financiamento para o Estado de Preparação em Nível Nacional. Segundo os investigadores, até agora apenas 37 países completaram a avaliação sobre as capacidades de prontidão para identificar as suas necessidades para combater surtos. E destes, só dois usaram os resultados para preparar planos concretos de resposta. as restantes 162 nações não fizeram nada para avaliar as suas capacidades nesta área.como uma pandemia grave pode causar milhões de mortes e custar muitos milhões de euros, o Banco Mundial pede aos governos que priorizem o financiamento para o setor de preparação de pandemias nos seus orçamentos nacionais, alertando que a falta de investimento suficiente nesta área coloca vidas em risco e pode ser uma decisão economicamente desastrosa.