a Câmara da Póvoa de Lanhoso está interessada em promover os presépios dos vários lugares de Garfe, uma tradição que começou há quatro anos e que tem vindo a aumentar naquela freguesia.
a Câmara da Póvoa de Lanhoso está interessada em promover os presépios dos vários lugares de Garfe, uma tradição que começou há quatro anos e que tem vindo a aumentar naquela freguesia. O presidente da autarquia, acompanhado pelo pároco e o presidente da Junta de Garfe, visitou os 12 lugares que aderiram à iniciativa, tendo-se manifestado muito agradado com os diversos conjuntos artísticos que teve a oportunidade de ver.
Manuel Baptista classificou os presépios como autênticas obras de arte que têm vindo a ser melhoradas de ano para ano e que poderão constituir um roteiro turí­stico. «Esta câmara está a apostar na parte cultural e pensamos criar para o próximo ano um roteiro para que isto comece a ser uma atracção turí­stica no concelho da Póvoa de Lanhoso», disse.
Para o autarca, «Garfe tem 12 presépios muito bonitos» e, por isso, é de prever que nos próximos anos esta iniciativa se mantenha e seja um ponto de referência na época natalí­cia, esperando-se mesmo que possa movimentar ainda mais pessoas, nomeadamente visitantes.
Questionado se a autarquia está disposta no futuro a apoiar financeiramente a freguesia para a concretização destes presépios, Manuel Baptista respondeu afirmativamente. « a Câmara da Póvoa de Lanhoso vai apostar no turismo e na cultura e isto pode ser uma atracção para que o Natal seja vivido com mais alegria. Em Taí­de, por exemplo, temos uma casa que prima pelas iluminações de Natal, que não diferem muito de ano para ano. aqui em Garfe é diferente. Todos os anos os presépios mudam nas suas ornamentações e mesmo no seu planeamento. Eu, como católico que sou, gosto e dou muito apreço a estes presépios», realçou.
Para o próximo ano acrescentou, outra ideia a implementar é levar as crianças das escolas até à freguesia de Garfe para que visitem os presépios, e, assim, sintam o verdadeiro Espírito do Natal. Segundo explicou, «é uma iniciativa que a câmara vai tomar porque, neste momento, as crianças estão muito mais materialistas e só pensam nos brinquedos. «Como presidente da câmara, quero fazê-los readquirir essa tradição e o respeito pela época natalí­cia», acrescentou.
O pároco de Garfe, por sua vez, lembrou que esta iniciativa teve início há quatro anos depois da freguesia ter vivido momentos menos bons. «Foi um ano bastante negativo em questões de dores, sobretudo por causa de jovens que morreram em acidentes. Estávamos a três semanas do dia 25 de Dezembro e ninguém falava do Natal. as pessoas andavam quase todas de luto. até que um dia, um grupo de jovens quis fazer qualquer coisa para animar a freguesia e surgiu a ideia dos presépios. Há quatro anos fizemos sete, no segundo ano oito, no terceiro dez e este ano temos 12», contou, referindo-se aos presépios dos lugares de Pinheiro, S. Roque, Pena, S. Pedro, assento, Godiães, Salgueiros, Carvalhinho, Devesa, Cilindro, Quinta e Moinhos.
Segundo o padre Luís Fernandes, esta iniciativa tem servido para unir as pessoas que, depois do trabalho, juntam-se para, em secretismo, construir os seus presépios numa saudável rivalidade entre lugares. assim, acrescenta, isto ajudou a criar laços de comunhão, de convívio e de festa entre as pessoas. «Depois fazemos uma novena, com uma eucaristia em cada um dos presépios em que procuramos entrelaçar todos», disse.
Para o pároco, esta iniciativa é muito apreciada por quem visita a freguesia, havendo mesmo quem se desloque a Garfe propositadamente para ver os presépios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *