a investigação com fins militares ocupa directamente um milhão de cientistas e recebe mais de 30 por cento dos fundos destinados à investigação e ao desenvolvimento, em todo o mundo.
a investigação com fins militares ocupa directamente um milhão de cientistas e recebe mais de 30 por cento dos fundos destinados à investigação e ao desenvolvimento, em todo o mundo. Na Espanha, os orçamentos para a investigação militar quadruplicaram nos últimos anos, em 2006 já é o segundo país do mundo que dedica uma maior percentagem do produto interno bruto para o desenvolvimento de novas armas, atrás dos Estado Unidos.
Por isso, a Fundação para a Paz está a desenvolver em Espanha uma campanha contra a investigação militar. Esta fundação foi criada com a finalidade de contribuir para a instauração progressiva de uma cultura de paz na sociedade. as palavras centrais desta campanha são: transparência e transferência.
a campanha exige transparência em relação à investigação e desenvolvimento militar em dois âmbitos:

– Nos orçamentos gerais do estado espanhol, onde os fundos para o desenvolvimento de novas armas se encontram ocultos em programas civis, de ministérios civis. a campanha exige que tais fundos sejam apresentados claramente e entregues ao ministério da defesa.
– Nas universidades, centros de investigação e empresas. Têm que ser conhecidos os grupos de investigação que se dedicam a actividades de investigação e desenvolvimento militar, acabando com o secretismo que existe actualmente sobre o tema.

Quanto à transferência, a campanha tem como objectivo conseguir:

– Que os orçamentos que o estado espanhol dedica à investigação militar sejam transferidos para áreas civis.
– Que os grupos, e centros de investigação, que se dedicam a projectos militares os abandonem em benefí­cio de projectos civis.
– Que os cientistas, universidades, empresas e centros de investigação se comprometam a trabalhar só no campo civil, e zelem pelo uso Pacífico das suas descobertas.

Nesta campanha, que actualmente conta com o apoio de mais de trinta organizações e entidades colectivas de todo o país, existe a certeza de que o objectivo da investigação cientí­fica deve ser o desenvolvimento dos conhecimentos básicos e aplicados a melhorar o bem-estar da humanidade e a preservação da natureza. Deste ponto de vista, a investigação militar constitui uma “anti-ciência”.
Por esta razão, a campanha tem como finalidade conseguir a transferência de recursos da investigação militar para áreas civis, interrompendo assim o ciclo da corrida ao armamento pela raiz.
ao longo destes anos, foram desenvolvidas uma série de acções. actualmente, na sua página de Internet, recolhem assinaturas em favor de orçamentos alternativos para uma Espanha sem investigação militar. é também colocada à disposição de quem deseje: informação mais pormenorizada sobre a campanha e os orçamentos, anúncios de actos públicos, exposições e ligações a outras páginas de Internet preocupadas com a temática da paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *