En vez de destruir estes bairros, as autoridades suazilandesas têm planos para dar aos residentes direitos de propriedade e acesso a serviços numa série de novos desenvolvimentos urbanos.
En vez de destruir estes bairros, as autoridades suazilandesas têm planos para dar aos residentes direitos de propriedade e acesso a serviços numa série de novos desenvolvimentos urbanos. Mais de um em cada três suazilandeses vive abaixo da linha da pobreza, e 40 porcento de todos os adultos, de uma população de um milhão, está infectado com o ví­rus da sida.
O Projecto de Desenvolvimento Urbano, sob tutela do ministério da habitação e do desenvolvimento urbano e parcialmente fundado por empréstimos do Banco Mundial, é uma iniciativa lançada em resposta às necessidades locais. Na cidade de Mbabane foram construí­das estradas, foi trazida electricidade e água e foram estudados os bairros a melhorar.
“O Projecto de Desenvolvimento Urbano não constrói casas, cria as condições para que os donos desenvolvam as suas construções de forma planificada e com serviços comunitários”, disse John Lowsby, um consultor da iniciativa.
a nível local o Projecto de Financiamento e Melhoria Urbana de Mbabane tem o mesmo objectivo: não expulsar ninguém, mas criar condições para que cada um faça a sua própria construção. Muitos residentes de bairros ilegais na periferia de Mbabane e Manzini já se consideram donos dos terrenos das suas casas, tendo pago a tradicional vaca a um chefe pelo direito de viver baixo a sua jurisdição.
íreas inseguras estão excluí­das deste plano. Bairros ilegais em zonas frequentemente inundadas serão evacuados, os residentes vão receber casas construí­das pelo governo em linha com o plano de desenvolvimento urbano.
Os residentes e as organizações não-governamentais aplaudem o esforço do governo para trazer serviços e organização ao bairros periféricos ilegais, no entanto, há controvérsia quanto ao requerimento de que os donos dos lotes paguem impostos sobre a propriedade e recebam facturas pelo seu consumo de água e de electricidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *