São muitos, espalhados pelos quatro cantos do mundo, rezando, apoiando e colaborando na actividade missionária.
São muitos, espalhados pelos quatro cantos do mundo, rezando, apoiando e colaborando na actividade missionária. São nossos amigos, benfeitores e colaboradores. Na Coreia do Sul são muito activos. é deles que vos quero falar, em particular do grupo das Imondul, membros da direccão da associação dos amigos e colaboradores dos Missionários da Consolata.
O nosso fundador, Beato José allamano, falava deles com emoção e simpatia. Considerava-os membros a cem por cento da nossa família missionária. Desde o início da presença da Consolata em África, os amigos e benfeitores revelaram-se essenciais para o sucesso do apostolado missionário. O mesmo se passou noutros países.como não podia deixar de ser, tal aconteceu também na Coreia.
Desde que chegámos à Coreia, em Janeiro de 1988, o número dos amigos e benfeitores tem aumentado. E não só. Conseguimos chegar a um estado de auto-suficiência económica, apesar de sermos um pequeno grupo constituído por 10 missionários, graças à generosidade dos nossos benfeitores.
De entre eles, gostaria de destacar as nossas Imondul, que têm sido incansáveis em colaboração, carinho e apoio ao nosso pequeno grupo. ao longo do ano que agora termina, particularmente nestes dias após a morte do nosso irmão Joseph Otieno, mostraram por nós e pela missão um amor imenso e uma dedicação profunda. Esta não se limita somente a ocasiões especiais, como a festa da Consolata, retiros, peregrinação anual, missa de Natal, mas também a muitas situações do dia-a-dia, como prestar-se para tratar de documentos e outros assuntos de burocracia.
Nos últimos anos tenho visto crescer nelas o amor e o interesse também pelo Instituto em geral, bem como pelas nossas actividades a nível mundial. De facto, algumas delas participaram na peregrinação missionária ao Quénia em 2004 e voltaram de lá com a determinação de se empenharem ainda mais na colaboração que nos prestam, bem como no conhecimento do nosso Instituto e do seu carisma. Para tal, estamos a pensar em proporcionar-lhes um período de formação mais especí­fica, de modo a poderem tornar-se animadoras missionárias nas suas paróquias.
Quero agradecer-lhes a elas e a todos os nossos amigos, benfeitores e colaboradores portugueses, recordando os demais espalhados por esse mundo fora. Bem hajam, pois é uma alegria imensa poder partilhar com vocês esta aventura chamada “missão ad gentes”. Bem hajam por serem missionários a cempor cento!
Desejo a todos um Feliz ano Novo, com muita paz, saúde, alegria e zelo missionário.
alvaro Pacheco, missionário na Coreia
Foto: algumas Imondul

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *