Trabalho de investigação revela que mais de 26 por cento das crianças do Mali não crescem de forma adequada devido à falta de alimentos
Trabalho de investigação revela que mais de 26 por cento das crianças do Mali não crescem de forma adequada devido à falta de alimentosUm estudo considerado inovador pelos responsáveis do Programa Mundial de alimentação (PMa) dá conta do grave impacto que a desnutrição tem nos menores e na economia do Mali. O trabalho de investigação mostra que 26,2 por cento das crianças com menos de cinco anos de idade sofrem de nanismo ou têm problemas de crescimento, devido à falta de nutrientes durante os primeiros anos de vida.
Boubou Cissé, ministro da Economia e Finanças no país africano, admite que a desnutrição é moralmente inaceitável e que esta mata e mata muito. Os que sobrevivem acabam por lidar com os efeitos para o resto da vida, lamentou o responsável, citado pela Rádio ONU.
O governante lembra que está também em jogo a sobrevivência económica do país, uma vez que muito dinheiro do orçamento nacional é utilizado para lidar com os efeitos da má nutrição, e não para salários, construção de estradas e investimentos públicos. No continente africano, os países chegam a perder, anualmente, entre 1,9 e 16 por cento do seu Produto Interno Bruto (PIB) devido aos efeitos da desnutrição.