Governo promete acabar com todo o comércio interno e processamento do chamado «ouro branco» a partir do final do ano. Medida vai obrigar ao encerramento de mais de uma centenas de empresas
Governo promete acabar com todo o comércio interno e processamento do chamado «ouro branco» a partir do final do ano. Medida vai obrigar ao encerramento de mais de uma centenas de empresas a China interromperá gradualmente todo o processamento de marfim e a sua venda com propósitos comerciais no final de 2017. Esta foi a promessa deixada esta segunda-feira, 2 de janeiro, pelas autoridades chinesas, de acordo com a imprensa estatal local. Neste momento, o país asiático é o que tem o maior mercado mundial de marfim. as presas de elefante, sobretudo oriundas de África, sempre foram vistas como um símbolo de poder na China, onde o preço por quilo pode atingir os 1. 000 euros. Para satisfazer o índice de procura, que se mantém alto apesar das crescentes restrições internacionais, milhares de elefantes são mortos todos os anos, de forma ilegal, no continente africano.com esta decisão, pelo menos 34 empresas que trabalham o marfim e 143 que se dedicam à sua comercialização podem ter que fechar portas. Para aili Kang, diretor-executivo na Ásia da Sociedade para a Conservação da Vida Selvagem, esta é uma grande notícia que acabará com o maior mercado mundial ainda vigente de marfim.