Neste Domingo os bolivianos votam por um novo presidente, mas há pouca esperança de que um novo governo resolva os conflitos do país.
Neste Domingo os bolivianos votam por um novo presidente, mas há pouca esperança de que um novo governo resolva os conflitos do país. a nação andina vai escolher entre Evo Morales, um político de esquerda anti norte-americano; Jorge “Tuto” Quiroga, de direita; e o magnata do cimento Samuel Dória, que tomou uma linha mais centrista.
Muitos bolivianos temem que, independentemente de quem ganhe, o país rapidamente vai regressar aos protestos de rua, bloqueios de estradas e greves que periodicamente atingiram a Bolívia nos últimos anos.
“Quem quer que ganhe não vai durar um ano”, disse Clementina amaro, 34 anos, uma linguista de El alto uma cidade satélite da capital La Paz e epicentro dos mais intensos protestos anti-governo no passado. “as pessoas não entendem que demora mais de um mês, mais de um ano para dar resposta às suas petições. Manifestam-se, é a única maneira de ser ouvidos”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *