O presidente George Bush retirou o seu voto de oposição à proposta de legislação que proí­be o tratamento cruel, inumano ou degradante dos suspeitos de terrorismo.
O presidente George Bush retirou o seu voto de oposição à proposta de legislação que proí­be o tratamento cruel, inumano ou degradante dos suspeitos de terrorismo. é uma maneira de mostrar ao mundo que os Estados Unidos não praticam a tortura, disse o presidente. apoiada pelo senador John McCain, a lei sobre tortura esteve em negociação durante meses entre o Congresso e a Casa Branca.
O presidente tinha ameaçado vetar esta nova medida, alegando que seria uma restrição para os militares e as agências de inteligência. Porém, o Senado e a Casa dos Representantes estavam claramente a favor da legislação.
Para os analistas políticos, o presidente teve que recuar, sofrendo um duro golpe na sua autoridade. Também para Dick Cheney, vice-presidente, é uma derrota pessoal, pois ele contactou por telefone todos os senadores republicanos para que não apoiassem a legislação.
Os Estados Unidos já são signatários da Convenção das Nações Unidas para a Tortura. a nova lei visa eliminar uma “zona cinzenta”entre práticas que são menos severas que a tortura, mas mais duras que as permitidas pelo manual de campo do exército norte-americano. a nova legislação pretende que o manual seja aplicado em todas as situações, dentro e fora dos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *