O chefe do exército nepalês considera o cessar-fogo uma manobra astuciosa dos rebeldes maoí­stas.
O chefe do exército nepalês considera o cessar-fogo uma manobra astuciosa dos rebeldes maoí­stas. Na passada sexta-feira os rebeldes extenderam o cessar-fogo unilateral por mais um mês. Mas o general Pyar Jung Thapa disse que os rebeldes continuam a recrutar crianças e a ameaçar a segurança das famílias.
Para o general, os rebeldes não têm um desejo sério de restaurar a paz no país. O governo não confia nos rebeldes que por duas vezes abandonaram os diálogos de paz. Os rebeldes culpam o governo de não ser sincero na procura de uma solução negociada.
Em Novembro, os rebeldes maoí­stas e sete partidos da oposição chegaram a acordo para formar uma aliança para restaurar a democracia e pediram que fosse eleita uma assembleia constituinte. Os rebeldes afirmaram também a sua intenção de aceitar a supervisão das Nações Unidas, ou outra organização internacional credí­vel, como preparação para o processo eleitoral.
a comunidade internacional e os partidos políticos nacionais pressionam o governo a reciprocar o cessar-fogo. a União Europeia (UE) pediu ao rei Gyanendra para reciprocar o cessar-fogo e criar um ambiente propí­cio para a paz. ao mesmo tempo, foi pedido aos rebeldes que “terminem imediatamente a violência com fins políticos”.
a UE também lançou um apelo à ONU para mediar o processo de paz e observar o acordo de cessar-fogo. O governo rejeitou qualquer interferência externo nesta questão.
Os maoí­stas lutam pela abolição da monarquia e pela criação de uma república comunista. até agora não fizeram qualquer comentário acerca das alegações feitas pelo governo. Umas 12 mil pessoas perderam a vida nos 10 anos de guerra civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *